9 Indicadores relevantes para a sua formação de preço

Publicado em: 20/04/2020
Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das principais tarefas da gestão financeira é a formação de preço. Ela irá garantir que a empresa ou comércio seja ao mesmo tempo lucrativo e competitivo.

Apesar de ser atrativo para a grande maioria dos consumidores colocar os preços bem baixos como uma estratégia de venda, ela pode prejudicar o negócio por não prever o valor de custo na matéria-prima.

Não existe fórmula mágica para identificar quanto pode ser cobrado por determinado item, entretanto alguns métodos nos ajudam a ter uma melhor elaboração.

Confira agora 9 indicadores relevantes para a formação de preço.

1. Fluxo de Caixa

Um dos maiores indicadores para a formação de preço é analisar o fluxo de caixa da empresa.

A partir desta análise é possível fazer um controle maior do que está entrando e saindo diariamente do empreendimento e quanto está retornando em receita.

Com esse conhecimento fica mais fácil determinar descontos em produtos encalhados no estoque ou até mesmo elevar alguns preços por estar gerando prejuízo ao caixa.

2. Custo-Benefício

Um dos indicadores de preço mais importantes é saber quanto o gestor irá gastar com o fornecedor para oferecer essa mercadoria na empresa.

A compra da matéria-prima é influenciada em sua maioria pela alta ou baixa do dólar, fazendo com que o empresário tenha que readequar os preços para não sair no prejuízo e pagar seus fornecedores.

3. Retorno de Investimentos

É natural que em algum momento de alta lucratividade sejam feitos investimentos para melhorar o atendimento e a infraestrutura da empresa, buscando assim um crescimento no segmento de mercado em que faz parte.

Dividir o lucro líquido pelo total de ativos pode ser um bom indicativo para determinar os futuros preços do seu negócio e então conseguir o retorno total dos investimentos realizados.

4. Geração de Caixa

A geração de caixa consiste basicamente em saber quanto sobrou e o quanto faltou.

Os resultados positivos nem sempre são boas notícias, por isso, você deve ter consciência se a estratégia de venda adotada continuará gerando caixa pelos próximos meses ou é necessária uma reformulação dos preços.

O mesmo vale para o resultado negativo e a tentativa de reinventar os preços cobrados pelo serviço.

5. Resultado Operacional de Caixa

Um bom planejamento de recursos permite que a empresa se prepare para as vendas e o gestor para pensar em resultados operacionais.

Ter um pleno conhecimento do valor total gerado pelo caixa da empresa, sem considerar os financiamentos bancários e a adesão ou retira de sócios, é um indicativo poderoso para a formulação do preço.

A partir desse conhecimento, o gerente financeiro consegue pensar em estratégias para potencializar ainda mais as vendas e colocar a empresa no melhor patamar de custo-benefício.

6. DRE

A DRE de uma empresa é sem dúvidas um dos documentos mais importantes sobre a sua saúde financeira. Todos os ganhos e despesas que estão descritos servem para uma análise mais profunda sobre a sua precificação.

O documento pode indicar fornecedores que cobrem acima do esperado, abrindo caminho para novas negociações de compras que certamente irão impactar o preço do seu produto final.

7. Resultado Líquido

A precificação ideal também pode ser apontada nos lucros reais que a sua empresa teve até então.

Analisar o resultado líquido do caixa pode ainda ajudar a decidir se retira ou não um produto que não está mais vendendo como deveria, dando oportunidade para outro que tem capacidade de gerar lucro e um bom preço para o consumidor.

8. Controle Orçamentário

O controle orçamentário é a ferramenta mais importante para o trabalho do gestor financeiro de uma empresa, ele faz toda a diferença no cumprimento de metas e utilização dos recursos disponíveis.

Essa ferramenta também pode servir como indicativo importante na formação de preços a partir da análise das deficiências e conquistas em um determinado período, podendo fazer com que a empresa saiba criar estratégias de marketing para a venda desse produto mantendo um preço interessante.

9. Faturamento mensal

Por fim, porém não menos importante, a análise em cima do faturamento mensal é um forte indicativo para reavaliar a precificação das mercadorias.

A partir dele é possível saber quais produtos obtiveram menor retorno e como a empresa pode tornar o preço mais atrativo para o seu consumidor final.