Como embutir os impostos na minha formação de preço

Publicado em: 30/04/2020
Tempo de leitura: 3 minutos

O peso dos impostos na formação de preço afeta uma das decisões mais importantes para qualquer gestor. Afinal, medir o quanto a empresa recebe por cada produto ou serviço prestado é essencial. Porém, durante a formação do preço, existem alguns detalhes que tendem a ser esquecidos. Os impostos são um grande exemplo.

Portanto, se você tem dificuldade em como embutir os impostos na formação de preços da sua empresa, este post é para você. Descubra como fazer este processo e quais são os impostos mais comuns!

Entendendo a construção do preço

Existem diversos fatores que contribuem com a formação de preço para uma empresa. Por exemplo, existem as características externas, do mercado mais específico e da economia em geral. Porém, neste post, vamos focar em um dos mais específicos, os custos do produto.

O preço ideal é simples de entender. Esquecendo a concorrência e o mercado em geral, ele deve cobrir os custos da produção e ainda trazer um certo lucro para a empresa. Portanto, é preciso fazer umas contas para encontrar o preço ideal.

O peso dos impostos na construção do preço

Um dos custos que podem passar despercebidos por parte dos gestores e empreendedores são os impostos. O Brasil tem uma malha tributária bem complexa, e entendê-la é um desafio até para quem é profissional no assunto. Então, como o gestor deve se portar em relação a eles?

Primeiramente, o principal é jamais esquecer dos impostos na formação de preço, começando pelo processo de compra. Em seguida, é preciso entender todos os impostos aos quais um empreendedor está exposto. Existem certos tributos que são pagos na compra de materiais, assim como outros que são recolhidos na venda.

Ou seja, a cada operação é preciso se atentar aos impostos cabíveis e adicioná-los no preço. Caso contrário, você está diminuindo sua margem, podendo até perder dinheiro a cada venda. Então, se sua empresa vende bastante, mas você não ganha o que acha que deveria, os impostos podem ser um motivo. 

Quais são os impostos mais comuns?

Dependendo do produto ou serviço, sua empresa pode pagar um conjunto diverso de impostos. No Brasil, os mais comuns são:

  • Imposto de Renda Pessoa Jurídica;
  • Contribuição Social sobre o Faturamento das Empresas;
  • Imposto sobre Produto Industrializado;
  • Imposto Sobre Importações;
  • Contribuição para o Programa de Integração Social;
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços;
  • Imposto Sobre Serviços;
  • Recolhimentos do INSS.

Como lidar com os impostos

Isso significa que todos estes impostos precisam ser conhecidos, com seus valores a cada venda. Por exemplo, a cada produto vendido, você tem o recolhimento total de X reais por todos os impostos. Neste caso, este X precisa ser acrescentado ao preço final, caso contrário, a empresa passa a ter prejuízo.

Então, o primeiro passo é conversar com contadores. Eles ajudam você a entender quais os serviços ou produtos que o negócio vende e os impostos agregados.

Sendo assim, podem ajudar você a fazer a conta deste valor, para que você não precise fazê-la. Por fim, também podem ajudar a encontrar opções mais vantajosas. Afinal, pode ser que existam certas manobras tributárias para diminuir, pelo menos um pouco, o impacto dos impostos.

Não é fácil entender a malha tributária brasileira e todos os impostos aos quais seu produto e serviço está exposto. Porém, se você é gestor ou empreendedor, não precisa saber. Seu trabalho é entender que os mesmos existem e contar com a assessoria contábil ideal para ajudar a encontrá-los. Então, se quiser contar com esta ajuda, acesse nosso site e conheça nosso serviço de consultoria!